Jun 16, 2017 | Bon Vivant, In&outCom a sede em Lisboa, o estúdio de arquitetura de Aires Mateus concluiu mais um projeto dos irmãos Manuel e Franciso Aires. Trata-se de um edifício branco, que se situa na região de Grândola, em Setúbal, tratando-se de um Centro de Reuniões para a comunidade.O projeto prima pelo seu esquema de cores monocromático e pelas aberturas amplas com recortes sofisticados.Os arquitetos quiseram assegurar que o centro comunitário, de 670 metros quadrados, tivesse espaço suficiente para ser palco das reuniões, compondo assim o espaço total com várias salas de vários tamanhos.O edifício possuí aberturas no telhado e na fachada, que garantem a sua iluminação natural, evidenciando assim, a sua cor branca. Este é apenas um dos muitos projetos bem sucedidos de Aires Mateus em Grândola.
0

News
Dois projetos em ambiente rural e um em pleno coração de Lisboa venceram, em diferentes categorias, o concurso da maior plataforma online do mundo da arquitetura, a Architizer que atraiu a atenção de 400 mil votantes. Em comum, estes projetos foram beber inspiração nos materiais e no património cultural nacionais.Um espaço para eventos, em Vermoim (Vila Nova de Famalicão), que se inspirou nos espigueiros típicos da paisagem campestre do norte; um pequeno hotel rural em Moncarapacho que brilha pela simplicidade com que preservou a arquitetura ancestral típica daquela zona do Algarve; e uma residência para estudantes que nasceu, em pleno Chiado, a partir do edifício da antiga Fábrica de Vidros das Gaivotas. Estes são os trabalhos de arquitetos portugueses que mais se destacaram na edição deste ano do concurso da plataforma americana.Com 102 categorias e 500 projetos escolhidos entre milhares de candidaturas enviadas de ateliês de uma centena de países, o concurso fez as distinções através do Prémio Votação Popular e/ou pelo Prémio do Júri, sendo este último constituído por um painel com cerca de 400 individualidades das áreas da arquitetura, mas também moda, design, imobiliário, tecnologia. Os votantes ultrapassaram a barreira dos 400 mil.A extensão do Palácio da Igreja Velha, em Vermoim, Vila Nova de Famalicão, concebida pelo gabinete Visioarq — Arquitetos, venceu o “Popular Choise Award” , o prémio do público, na categoria Pormenores-Arquitetura+Metal com cerca de 300 mil votos favoráveis.Este projeto de ampliação, da responsabilidade de Vicente Gouveia, Nuno Poiarez e Pedro Afonso, parte de uma mansão do final do século XIX, com elementos barrocos e neogóticos, para um novo volume (para realização de eventos) que adotou soluções inspiradas nos tradicionais espigueiros da região norte, cuja função era secar o milho.“Os ripados em madeira que nós reproduzimos na nossa estrutura servem para ventilação do espaço e proteção solar, funcionalidades próprias do espigueiro”, faz notar Vicente Gouveia, destacando, ainda, um certo desafio à lógica dos materiais utilizados, com o pesado aço em cima do delicado vidro, criando impacto e a sensação de que o conjunto está, de alguma forma a “levitar”, mas “mantendo a desejada harmonia cromática e volumétrica” no contexto da paisagem.A obra custou cerca de 5 milhões de euros.RESPEITAR A IDENTIDADE Distinguida pelo voto popular (online) e também pelo júri, a residência de estudantes do ateliê Luís Rebelo de Andrade brilhou na categoria Conceitos-Arquitetura+Renovação. A Doorm, situada entre o bairro de Santos e o Bairro Alto, preservou a fachada da antiga fábrica de Vidros das Gaivotas, na rua Fernandes Tomás, assim como a sua chaminé de tijolo, e refez o miolo do edifício.
0